7 Práticas de Gestão Emocional que Levam ao Sucesso

Uma pessoa com fraca gestão emocional pode destruir a sua vida pessoal e profissional. Descubra 7 práticas de gestão emocional para aplicar na sua vida.
Especialista em Inteligência Emocional
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Neste artigo vais descobrir 7 técnicas de gestão emocional.

Uma pessoa com fraca gestão emocional no ambiente de trabalho, ou mesmo na vida pessoal, pode ter consequências como ser despedido ou não conseguir manter uma relacionamento estável.

No trabalho quem não possui uma consciência das suas emoções é muitas vezes alguém com dificuldade em apreciar e ser apreciado pelos colegas de profissão. Ser profissional requer maturidade, dignidade e integridade. Não conseguimos respeitar quem não consegue controlar as suas emoções na sua vida pessoal e no trabalho.

Se tivermos fracas competências de gestão emocional o nosso ego e orgulho sobrepõe-se à nossa inteligência e conhecimento.

No trabalho, a nossa Inteligência Emocional, é um fator ainda mais importante do que o nosso talento ou competências técnicas. A importância da gestão emocional na nossa vida está comprovada científicamente.

7 Práticas de Gestão Emocional

1) Transforma-te num Observador

autoconsciência

Para gerires as tuas emoções precisas de desenvolver a capacidade de agires como observador das tuas próprias experiências emocionais sem te julgares.

Difícil?

Sim é difícil porque as nossas mentes estão constantemente à procura do lado bom ou mau de cada situação ou pessoa. Isto acontece para nos ajudar a encontrar estratégias para resolver ou melhorar a situação ou problema que temos.

Quando deixamos que a nossa avaliação da situação defina a nossa experiência sem pensarmos se realmente é a melhor interpretação, acabamos por reagir em vez de responder. Acabamos assim por agir de forma mais emocional e menos racional.

Para desenvolvermos uma boa gestão emocional precisamos primeiro de aprender a observar e a compreender as emoções que experienciamos.
Precisamos de ter consciência dos desconforto que causa certas emoções, como a tristeza ou a raiva, sem ter a necessidade de negar ou mudar essa emoção.

Esta forma mais leve de pensar ajuda-nos a termos mais equilíbrio. Não há necessidade de rejeitarmos situações ou emoções apenas porque são desconfortáveis.

Nem tudo o que é desconfortável é negativo. Se conseguirmos ser objetivos podemos transformar desconforto em produtividade.

2) Pratica a Aceitação

Quando nos sentimos assoberbados com emoção, ficamos instantaneamente cheios de adrenalina e focados nos processos inconscientes de sobrevivência.
Estes processos fazem com que seja um desafio separar as emoções dos nossos impulsos automáticos para agir.

Podemos não conseguir escolher o que sentimos, mas podemos ter consciência que estamos a reagir e a ser proativos em fazer algo em relação ao que está a acontecer no momento.

Dá um passo atrás.

É incrível como parar por um momento nos ajuda a acalmar a mente. Ajuda-nos a julgar menos a situação, os outros e a nós próprios. Ajuda-nos a parar os nossos impulsos reativos para falar ou agir antes de pensar.

Quando conseguimos nos acalmar e aceitar o que nos faz sentir desconfortáveis, conseguimos aceitar mais facilmente o que se está a passar.

A aceitação ajuda-nos a tolerar o caos com mais confiança, menos medo e menos resistência.

3) Compara-te Contigo

comparação social

As redes sociais vieram apenas reforçar a nossa tendência de nos compararmos com os outros.

Quando comparas a tua vida com a vida de alguém que vês nas redes sociais estás a comparar coisas muito diferentes.

Da tua própria vida tens bastante informação mas mesmo assim, muitas vezes não tens consciência do quão és feliz com aquilo que já tens. Muitas vezes olhamos para trás e pensamos, eu era feliz naquela época e não sabia.

Em relação à vida das pessoas que vês no Instagram a viajar e sempre sorridentes. Não fazes a mínima ideia do que está para lá daquela foto, muitas vezes os sorrisos escondem pessoas muito infelizes e solitárias.

A comparação que te ajuda é quando comparas o que fizeste hoje em comparação com o que fizeste ontem.

Melhoraste alguma coisa de ontem para hoje? Ou estás na mesma rotina há meses ou anos? Melhora um pouco de ti a cada dia e compara-te contigo mesmo/a.

Desenvolvimento pessoal e gestão emocional é melhorarmos pequenos pormenores e hábitos no nosso dia-a-dia. Sem pressão, apenas foco na melhoria.

4) Abre a tua Mente Imparcial

Quando julgamos o que sentimos como sendo certo ou errado, as nossas emoções controlam-nos. Dão-nos a sensação que somos impotentes na gestão de emoções.

Quando reagimos baseado numa avaliação a preto e branco, significa que não estamos a ver todas as nuances e tons diferentes que aquela situação pode ter.

Muitas vezes impomos a nossa opinião aos outros como se fosse uma verdade universal. O pensamento a preto e branco é incrivelmente limitador em relação a encontrarmos outros significados que poderiam gerar soluções para o nosso problema.

Quando conseguimos ter a mente aberta e sermos realmente imparciais, essa atitude ajuda-nos a ter uma uma ideia da situação mais próxima da realidade, incluindo as ideias e emoções dos outros. Essa é uma das competências cruciais da Inteligência Emocional. Ter consciência, nomear e compreender as emoções dos outros.

Desta forma as situações são abordadas de uma forma mais fluída e criativa em vez de o foco ser apenas o nosso próprio interesse.

Para conseguirmos ser imparciais precisamos de melhorar competências como a autoconsciência emocional, a mudança de significado e o reconhecimento das emoções e pensamentos dos outros.

5) Pratica a Consciência sem Rótulos

sem rótulos

Quando o nosso foco está em conseguirmos gerir as nossas emoções de uma forma ativa, é mais fácil desligar a nossa mente de pensamentos obsessivos ou memórias que não nos largam. Muitas vezes esses pensamentos nada têm a ver com o que estamos a fazer naquele momento e não existe qualquer utilidade em pensar nisso.

Não precisamos de rotular o que se está a passar neste momento como algo bom ou mau.

Precisamos de treinar a nossa mente para pensar em cada momento, “O que se está a passar agora, é o que é.”

Resiste à tentação de rotular uma situação ou uma pessoa. Há muitas vantagens em deixar que as coisas aconteçam naturalmente sem rótulos.

Por mais difícil que possa parecer não ter controlo sobre uma situação, deixa que o desconforto diminua lentamente. Afasta-te de padrões rígidos de pensamento ou comportamento.

Ao fazermos isto ficamos abertos a encontrar soluções que aparecem naturalmente em vez de forçar soluções que nascem apenas da necessidade de controlo.

Quando escolhemos não rotular, vemos a vida de um ponto mais alto e sentimo-nos mais leves.

6) Fica no Presente

consciência plena

Quando sentimos emoções fortes temos a tendência para alternar os nossos pensamentos entre o passado e o futuro. Isto retira o nosso foco do presente, do que se passa aqui e agora.

Aconteça o que acontecer, deixa acalmar sem reagir de forma impulsiva. Precisamos de gerir não só as nossas emoções negativas mas também as emoções positivas para conseguirmos tomar decisões baseadas na realidade, em vez da ansiedade do futuro ou a depressão do passado.

Liga-te ao que se passa agora, neste preciso momento.

Toma consciência de ti, escreve ou pensa em opções para tomares decisões. Fala com outras pessoas para saberes o que se está a passar realmente com os outros.
Quando sentires que encontraste um equilíbrio emocional, toma a tua decisão.

Ficarmos no presente de forma consciente leva-nos a sair do nosso “piloto automático” que nos deixa presos no sonho mental do passado ou do futuro.

Ideias inovadoras e criativas surgem muitas vezes quando conseguimos acalmar e criar um equilíbrio mágico entre a emoção e a razão.

7) Pratica a Consciência Empática

empatia

Todas as reações emocionais que temos na nossa vida pessoal ou profissional são aprendidas.
Através da experiência aprendemos quais as pessoas que nos magoaram ou rejeitaram e quais as pessoas que nos ajudaram ou nos trataram com respeito e bondade.

Empatia significa mudarmos o foco que está em nós e direcioná-lo para a outra pessoa, tentando compreender o que outro está a sentir.

Ser empático envolve adoptar uma posição de observação completamente diferente em relação à nossa realidade e experiência.

Envolve largar o foco no eu, no meu e no eu próprio. Quando a nossa intenção nasce do egoísmo vemos quase todas as outras pessoas como nossos adversários.

A empatia permite-nos ver os outros como colegas da mesma equipa. Quando nos centramos em nós próprios temos tendência a tomar decisões irracionais e egoístas. Com empatia vivemos num mundo povoado por colegas de equipa que nos ajudam a tomar decisões emocionalmente inteligentes.

Conclusão

Tudo na vida e nos negócios é passageiro.

Num determinado momento podemos estar a passar momentos difíceis mas não vamos estar nesta situação para sempre, vai passar como passa sempre.

Quando sentimos emoções com alta intensidade é importante direcionarmos o nosso foco para o momento presente e percebermos as mudanças naturais que ocorrem à nossa volta e em nós próprios. Desta forma vamos conseguir desenvolver a nossa gestão emocional.

Quanto menos distraídos estivermos pelos nossos pensamentos do passado ou do futuro, mais calmos, pacientes e curiosos vamos estar em relação às mudanças naturais que ocorrem em todos os negócios .
Isto permite-nos trabalhar de forma mais eficiente e produtiva.

Tudo é temporário, isto significa que temos tempo para acalmar e refletir antes de agirmos.

Artigo adaptado do original: https://www.entrepreneur.com/article/281339

Partilha este artigo nas redes sociais:
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Ricardo Cabete

Ricardo Cabete

Especialista em Inteligência Emocional

Linked In

Deixa um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ARTIGOS SOBRE INTELIGÊNCIA EMOCIONAL, COMUNICAÇÃO E LIDERANÇA:

Vídeos em destaque:

Palestras e Formações para Empresas – Ricardo Cabete – Palestrante Internacional

Emoções: O Manual de Instruções (Ricardo Cabete Palestra TEDx)

Workshop Inteligência Emocional com Ricardo Cabete

Tour Inteligência Emocional – Médio Oriente

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!